Geração de NFS-e

A emissão de NFS-e é mais rápida e ágil com o ContaAzul. Tudo online para sua empresa

contaazul-emissao-de-nota-fiscal-online

A emissão de NFS-e é mais rápida e ágil com o ContaAzul. Tudo online para sua empresa

contaazul-emissao-nfe

NFS-e: Emissão de nota fiscal de serviço

Gerar NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica) garante a emissão de um documento que só existe digitalmente, mais prático do as notas impressas. Desenvolvida para modernizar o processo de faturamento das empresas, é uma realidade para as empresas brasileiras desde 2006. A partir de um procedimento prático e eficaz para a emissão e o manuseio pelas empresas, o recurso permite registrar a contratos e serviços comercializados. As notas emitidas por sua empresa são enviadas diretamente para a prefeitura, para apuração de impostos.

contaazul-tela-de-emissao-nota-fisica-criacao

Por que emitir nota fiscal eletrônica

A função da nota fiscal eletrônica é registrar uma operação de circulação de mercadorias ou uma prestação de serviços, realizada por uma empresa, para fins de recolhimento de impostos e fiscalização. Sua validade jurídica é garantida pela assinatura digital do remetente (garantia de autoria e de integridade) e a Autorização de uso fornecida pelo Fisco, antes da ocorrência do fato gerador.

contaazul-painel-controle

Vantagens da NFS-e

Há diversos motivos para adaptar sua empresa a um sistema de emissão de nota fiscal eletrônica de serviços. Entre as vantagens estão aspectos para cada um dos participantes de um contrato ou assinatura de serviço, como redução de custo de impressão, redução de custo de armazenagem de documentos fiscais e aumento de confiabilidade na NFS-e.

contaazul-gestao-empresas-seguranca

Certificado digital fácil de importar

A assinatura de certificados digitais garante a segurança das transações online da empresa, como troca de documentos e mensagens. Esses certificados têm validade jurídica e são necessários para a comunicação com os sistemas da Sefaz.

contaazul-tela-de-segurança

Emissão de NF-e com Certificado A1

O Certificado Digital A1 vem em formato digital e pode ser utilizado para emissão de notas de produto (NF-e). Este tipo de certificado pode ser armazenado, ou seja, importado no computador do titular e, em seguida, no sistema que utiliza para emitir notas. Tem validade de 1 ano.

contaazul-ganhe-tempo-agilidade-gestao-vendas

Integrações que agilizam a emissão.

Uma das principais vantagens de usar o ContaAzul para acessar o site da Prefeitura é que as vendas, contas a receber e fluxo de caixa lançados no sistema são atualizados automaticamente com a emissão da nova nota, além de o emissor de NFS-e ser totalmente integrado com a emissão de vendas. Você nunca mais vai precisar informar dados de uma venda duas vezes! O envio de documentos ao contador também é mais ágil e preciso, para quem usa a integração com o contador.

contaazul-importacao-de-oxf

Integração com financeiro

A cada confirmação de pedido, o ContaAzul automaticamente dá baixa de produtos de seu estoque e alimenta seu financeiro e fluxo de caixa para a data prevista de recebimento. A partir do cadastro de clientes e de contratos, razão social, endereço e CNPJ ou CPF do cliente são incluídos na hora de tirar a nota, para facilitar a tarefa. Nem você nem seus vendedores precisam ter habilidade para criar uma proposta elegante. Basta preencher as informações no nosso formulário e automaticamente criamos a proposta comercial com o orçamento para você.

nfse-sem-certificado-v02-menor

Controle de RPS e NFS-e online

A transmissão de uma nota fiscal de serviço é feita por meio de um RPS (Recibo Provisório de Serviços). Assegure o controle de RPS com o ContaAzul.

contaazul-tela-de-servico-resumo-emitir-nota-fiscal

Cidades homologadas para nota de serviço

Para ser um emissor de nota fiscal de prestação de serviços é preciso possuir CNPJ e Inscrição Municipal na prefeitura. O emissor do ContaAzul é homologado para as 40 maiores cidades do país e para dezenas de outros municípios. Confira a relação completa de cidades homologadas pelo ContaAzul.

tela-IMPOSTOS

Imposto sobre serviços sugerido

Planejamento e recolhimento de impostos são um tema crítico para pequenas empresas, porque os impostos que incidem na nota dependem enquadramento tributário da empresa. Em muitos casos, os tributos são ISS (Imposto Sobre Serviço), PIS/Cofins e IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte). A alíquota do Supersimples é calculada também sobre os valores de faturamento da NFS-e, no caso das empresas optantes por esse regime. Para lidar com a complexidade do sistema tributário do país, receba sugestões de impostos sobre serviços diretamente no cadastro de tipos de serviço de sua empresa ou na emissão da nota fiscal de serviços. O ContaAzul usa seu histórico de serviços e as boas práticas de mercado para isso. Basta verificar e emitir em poucos segundos.

contaazul-tela-de-criacao-vendas-recorrentes

Visão de contratos e vendas recorrentes

Você trabalha para ter vendas recorrentes e fidelizar clientes e quer agilizar a gestão de contratos de quem é prestador de serviços, registrando renovações e repetição de vendas mais rapidamente. Planeje melhor sua situação financeira com uma visão clara de contratos e vendas recorrentes. Você trabalha para fidelizar clientes e ter vendas recorrentes. No ContaAzul, você tem opções de recorrência de contratos de vendas: mensal, bimestral, trimestral, semestral e anual. Esse recurso agiliza a gestão de contratos de quem é prestador de serviços, registrando renovações e repetição de vendas mais rapidamente.

4,9 4
ContaAzul

Na parte de emissão de notas fiscais, tudo muito rápido e prático.

Conecte as áreas da sua empresa

As Funcionalidades ContaAzul foram pensadas para facilitar a sua gestão, economize tempo utilizando um único sistema.

Funcionalidades ContaAzul

Perguntas frequentes

As médias e pequenas empresas também podem emitir NF-e ou NFS-e?

Sim. Independente do porte, as empresas que praticam uma das atividades econômicas obrigadas, devem emitir NFSe.

Da mesma forma, as empresas que não estiverem obrigadas poderão, voluntariamente, aderir à emissão de NFSe.

Os requisitos básicos para emitir uma NFS-e são semelhantes para todas as cidades brasileiras. Mas, como a nota de serviço é transmitida à prefeitura, pode haver detalhes e especificidades de cada município. Confira os quatro passos principais:

  1. Ter uma empresa formalizada, com CNPJ: Caso não tenha, procure um contador para conversar sobre qual regime sua empresa se enquadra
  2. Inscrição Municipal: Trata-se do número de identificação do contribuinte no Cadastro Tributário Municipal, que é realizado junto às prefeituras de cada município. (*Exceto para Brasília, que exige inscrição Estadual)
  3. Adquira um Certificado Digital: Para ter validade jurídica, alguns municípios exigem um certificado digital, para confirmar sua autenticidade e provar que foi a sua empresa que emitiu a nota.Saiba mais sobre certificado digital
  • Escolha um sistema de Emissão: Você vai precisar de um sistema emissor de notas fiscais eletrônicas. É importante que o sistema escolhido esteja integrado ao de controle de vendas, de forma que não seja necessário entrar com informações manualmente. Com o ContaAzul você pode fazer a emissão de notas de produtos ou serviços integrado com suas vendas! É rápido, fácil e eficiente! Experimente grátis!
  • Toda a documentação técnica e a legislação estão disponíveis no Portal da prefeitura. Ainda assim, aconselhamos a sempre conversar com seu contador, ele é a melhor pessoa para te direcionar no que fazer.

    Sim, o ContaAzul emite nota fiscal eletrônica de diferentes tipos. Confira os tipos:

    • NF-e: Nota de venda de produtos, quando sua empresa vende um bem ou mercadoria para outra empresa ou para o consumidor final.
    • NFS-e: Nota fiscal de prestação de serviço, quando sua empresa atende outra empresa ou o consumidor final.
    • NF de entrada: Nota fiscal de entrada, emitida em casos específicos em que sua empresa precisa faturar compras de produtos. As notas emitidas por outras pessoas jurídicas contra seu CNPJ são importadas pelo ContaAzul como notas de compra ou notas de entrada
    • Nota fiscal de exportação: Para empresas optantes pelo Simples Nacional que vendem para o exterior, a nota fiscal tem algumas particularidades. É preciso detalhar informações de impostos na NF-e de exportação específicos desse tipo de operação
    • Nota fiscal de remessa: Envolvem movimentações de saída de mercadoria da empresa sem operação de venda
    • Nota fiscal de retorno: Envolvem justamente o inverso, a devolução o caminho de volta dos bens sem envolver o financeiro e sem incidência de impostos.
    • Nota fiscal de devolução: Usada para acompanhar mercadorias que voltam à empresa com movimentação financeira.

    O sistema de geração de nota fiscal, integrado a vendas e ao financeiro, é simples de usar e ajuda empresas a ganhar tempo, trazendo dados de clientes, de produtos ou de serviços diretamente para o documento fiscal.

    O Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), ou somente Imposto Sobre Serviços – ISS, é da competência dos municípios (CF/88, art. 156, III) e substituiu, com a Reforma Tributária feita pela Emenda nº 18, de 1965, o antigo Imposto de Indústrias e Profissões, que constituía a principal fonte de receita tributária municipal.

    O Valor do ISS é definido de acordo com a natureza da operação, a opção pelo Simples Nacional, o regime especial de tributação e o ISS Retido, e será sempre calculado, exceto nos casos previstos em lei. A alíquota do ISS é definida pela legislação municipal. Quando a NFS-e é tributada fora do município em que está sendo emitida, a alíquota será informada pelo contribuinte.

    A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica é um documento fiscal, utilizado para o registro das prestações de serviços, gerado e armazenado eletronicamente.

    A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) é um documento fiscal, de existência apenas digital, que viabiliza a comunicação entre o prestador de serviço e a prefeitura do município, substituindo as tradicionais notas fiscais de serviços impressas. A NFS-e possui o objetivo de registrar as operações relativas à prestação de serviços por parte das empresas.

    Em casos onde não é possível gerar uma NFS-e pontualmente, existe uma solução que é o Recibo Provisório de Serviços (RPS). O RPS é um recibo de responsabilidade do contribuinte e deverá ser gerado manualmente, possuindo uma numeração sequencial crescente. Este recibo deverá ser convertido em uma NFS-e no prazo estipulado pelo município onde sua empresa atua.

    É o documento que deve ser expedido por emitentes da NFS-e em eventual impedimento de emissão on-line da NFS-e. Também pode ser utilizado por prestadores de serviço sujeitos à emissão de grande quantidade de NFS-e (por exemplo, estacionamentos, instituições de ensino etc.).

    Nessas hipóteses, o RPS deverá ser emitido no momento da prestação do serviço para cada transação. Depois, é obrigatório providenciar sua conversão em NFS-e mediante a emissão on-line ou envio de arquivos (processamento em lote).

    São essencialmente quatro os impostos informados em uma NFS-e (Nota Fiscal de Serviço Eletrônica): ISS, PIS, Cofins e CSLL. Entenda o que é cada um deles:

    ISS: O ISS (Imposto Sobre Serviço) é o imposto que incide sobre a prestação de serviços realizado por empresas e autônomos. Ele é um tributo de competência dos municípios e Distrito Federal.

    PIS: O PIS (Programa de Integração Social) é um imposto federal, que incide sobre o faturamento mensal das empresas e tem como objetivo financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos e entidades, tanto para os trabalhadores de empresas públicas, como privadas.

    COFINS: O COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) é um imposto federal que incide sobre o faturamento mensal das empresas.

    CSLL:O CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) é um tributo federal brasileiro que incide sobre o lucro líquido das empresas e é destinado ao financiamento da Seguridade Social.

    A NFS-e também é usada como base para cálculo de outros tributos, ainda que não sejam informados no documento fiscal, como IRPJ e a própria alíquota do Simples Nacional, no caso das empresas optantes por esse regime de tributação.

    Existem quatro tipos de notas fiscais emitidas por quem é MEI (microempreendedor individual). Entenda o que está por trás de siglas como NFA, NFA-e, NF-e, NFS-e e NFC:

    • Nota Fiscal Avulsa: Essa é a forma mais fácil para os MEIs emitirem nota fiscal, porém não são todos os estados que possuem esse tipo de nota fiscal. Para emitir essa nota, o MEI deve ir na Secretaria da Fazenda (SEFAZ) do seu estado e fazer a solicitação (ou num escritório da SEFAZ no caso de o estado não oferecer o serviço pela internet). Normalmente, pela internet é gratuito e é cobrado uma taxa para fazer a solicitação num escritório da SEFAZ. Verifique se o seu estado emite e quais os documentos que são necessários para isso;
    • Nota Fiscal Avulsa Eletrônica (NFA-e): É uma forma eletrônica e gratuita de emitir a nota fiscal avulsa, porém são poucos os estados que oferecem esse serviço. Ela funciona da mesma forma de uma nota avulsa;
    • Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e): O MEI pode, porém não é obrigado, utilizar as notas fiscais eletrônicas. Caso ele decida utilizá-la, terá que cumprir os mesmos requisitos de uma empresa não optante pelo MEI. Se você quer saber mais sobre o assunto, confira o nosso artigo sobre como emitir notas eletrônicas.
    • Nota Fiscal de Venda a Consumidor: Essa nota é utilizada para venda de produtos. Para fazer a impressão dessa nota numa gráfica é preciso pedir uma autorização AIDF na Secretaria da Fazenda do seu estado e depois imprimir numa gráfica seguindo as regras.

    Quando sua atividade for comércio ou indústria, você deve:

    1º– Solicitar a Nota fiscal avulsa diretamente na SEFAZ do seu estado. Em alguns estados esta etapa pode ser feita pela internet através de um requerimento online. Se o seu estado permite a emissão de Nota Fiscal Eletrônica avulsa, você deve pegar o nome do usuário e a senha de acesso do Sistema Autenticador e Transmissor de Cupom Fiscal (SAT) em um posto fiscal da SEFAZ. Alguns estados dispõem esta solicitação via internet, como Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, entre outros. No caso de dúvidas, busque algum orgão do SEBRAE na sua cidade.

    2º- Guardar todos os documentos de compras de mercadorias realizadas pela sua empresa. Esses, junto com as nota fiscais de vendas, devem ser anexados ao relatório mensal de faturamento da empresa.

    Existem atualmente 3 tipos de notas fiscais eletrônicas, cada uma servindo para substituir determinados documentos: A NF-e foi criada para substituir as notas fiscais de modelos 1 e 1A, utilizadas nas operações de venda e prestação de serviço, que está relacionado à cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

    Já a NFS-e foi criada para substituir a Declaração de Serviço, documento exigido pelo município e que está relacionado à cobrança do ISS (Imposto Sobre Serviço). Enquanto isso, a CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) substitui diversos documentos exigidos para se fazer o transporte de carga (Modelos 7, 8, 9, 10, 11 e 27).