Materiais Educativos

Compartilhe essa página

Glossário

Juros simples

O que são juros simples?

Quando o sistema financeiro calculava quais seriam os juros de uma determinada compra, parcelas em atrasos ou mesmo rendimentos de uma caderneta de poupança de forma simplificada, bastava uma simples "regra de três" ser realizada para mostrar qual seria o novo valor depois de algum tempo. Atualmente, é utilizado o sistema de juros compostos para fazer isso. Entretanto, ainda é útil aprender sobre juros simples.

Como calcular os Juros Simples?

Entre outras fórmulas, os juros simples podem ser calculados pela fórmula J = C * i * t, em que:

J = juros C = capital investido i = taxa de juros em casas decimais (100% = 1,00 e 5%=0,05, por exemplo). t = tempo de aplicação (pode variar de acordo com a utilização. Normalmente, são utilizados em dias ou meses, mas também pode ser utilizado em anos, entre outras unidades).

Por exemplo: Um cidadão colocou em sua caderneta de poupança R$ 1.000,00, por um ano. Quanto este homem recebeu no fim daquele ano? Para isto, basta aplicar a fórmula J = C * i * t.

Substituindo os valores, sabendo que os juros da poupança são de 0,6% a.m.

J= 1000*0,006*12 J= R$ 72,00

Ou seja, após um ano, o cidadão lucrou R$72,00.

Diferença para juros compostos

A principal diferença para os juros compostos está na forma em que os dois lidam com os juros. O simples não leva em consideração o montante acumulado do mês anterior. Já os juros compostos fazem a mesma conta que fizemos para todos os meses seguintes.

Por exemplo:

Um investimento de R$ 1.000,00, por três meses, com juros de 20% ao mês, nos juros compostos ficariam:

1° mês Juros acumulado = R$1.000 * 1,20 = R$ 1.200,00 2° mês Juros acumulado = R$ 1.200,00 * 1,20 = R$1.440,00 3° mês Juros acumulado = R$1.440,00 * 1,20 =  R$1.732,00 Mesmo que este tipo de juros não seja utilizado, normalmente, nos nossos dias, o princípio do cálculo é fundamental para entender o funcionamento de promoções, acréscimos, entre outros.