Gestão de produtos online e vendas

Cadastro de produtos integrado a vendas para ganhar tempo

4,9 4
ContaAzul

Me dá tempo e organização para gerência a minha empesa, buscando novos lançamentos e produtos diferenciados. E para mim o ContaAzul tem sido essencial

Precisa de uma gestão mais simples e ágil?

Controle seus produtos com ContaAzul,
integrado a estoque, faturamento e cobrança

Melhore a gestão de produtos online com o ContaAzul, do cadastro às vendas e estoque

Programa para cadastro de produtos

No controle de bens e mercadorias vendidos por sua empresa, um dos módulos do ContaAzul funciona como um programa para cadastro de produtos. Mantenha as informações atualizadas sobre o que você oferece, de forma simples e rápida. Configure os impostos apenas uma vez e nunca mais se preocupe com informações fiscais durante suas vendas.

Controle de produtos vendidos

Cada novo pedido confirmado é resultado de seu esforço. Ganhe velocidade transformando propostas enviadas em vendas de produto, com integração com faturamento, cobrança e estoque. Você pode ainda realizar um levantamento de seus produtos para verificar quais foram mais vendidos.

Informação de estoque de produto

Com agilidade para dar baixa no estoque sempre que um produto é vendido, você tem motivos para deixar de lado a planilha de informação de estoque de produto controle de estoque. As informações mercadorias disponíveis permanecem atualizadas e claras, para você não perder vendas, melhorar o giro e a rentabilidade do estoque.

Sistema de estoque online

Com alta disponibilidade e funcionando na nuvem, o ContaAzul é 100% online. Você pode acessar seu sistema de controle de produtos de qualquer lugar e em qualquer dia da semana, com informações atualizadas sobre sua empresa. Basta ter conexão à Internet, seu usuário e senha. A partir daí, é só alimentar os dados de vendas, estoque etc.

Emissão de Boletos Integrada

Emita e envie boletos bancários por e-mail com rapidez. Com suporte a boletos registrados, o ContaAzul facilita o controle sobre pagamentos confirmados e pendentes. A medida que são quitados, a conciliação bancária dá baixa e você sabe que pode partir para a próxima venda.

Integração para gerar nota fiscal eletrônica

Gerar nota fiscal eletrônica de produto (NF-e) fica mais fácil em um programa de controle de produto, com integração ao módulo de gestão de vendas. A vantagem de realizar é que, no fechamento do mês, você ganha tempo evitando a repetição de tarefas. Por exemplo, se no momento de faturar o valor da nota for alterado, automaticamente o pedido de venda é atualizado.

Funcionalidades ContaAzul

Perguntas frequentes

Como emitir uma NF-e de produto?

Para que você possa emitir uma NF-e (nota fiscal de produto) é importante possuir CNPJ, Inscrição Estadual, ser credenciado no Sefaz (Secretaria da Fazenda) do seu Estado e habilitado como emissor de notas fiscais eletrônicas em ambiente de produção. Será necessário possuir um Certificado Digital A1 ou A3.

Você pode manter a numeração  atual das notas de sua empresa ou iniciar uma nova, caso seja o primeiro faturamento. A emissão de notas fiscais de produto é integrada ao cadastro os dados de sua empresa, de produtos e de vendas que deseja faturar. Assim, é preciso cadastrar cada produto e o pedido comercializado.

Vale lembrar que a NF-e é um arquivo no formato XML, que existe apenas digitalmente, criada para substituir o documento fiscal em papel. Esse arquivo, assim que é gerado, é transmitido pelo ContaAzul para a Sefaz, o que assegura sua validade e regularidade.

Depois da NF-e ter sido enviada para a Secretaria de Fazenda, o arquivo fica disponível no sistema, com importação do PDF da DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) e o arquivo eletrônico (XML), assim como as ações de cancelar e editar a nota. Esses arquivos podem ser enviados diretamente para o cliente pelo ContaAzul ou serem baixados em seu computador ou impressos, conforme sua necessidade.

São seis os tributos que devem ser discriminados na NF-e (Nota Fiscal Eletrônica de produto) quando aplicáveis.

  • ICMS: corresponde ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços e diz respeito a quase todas as atividades. Ele é cobrado separadamente por estado e incide por cada atividade que abrange, não sendo cumulativo. Pode representar até 18% do valo de um produto.
  • Cofins: é a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, paga apenas pelas pessoas jurídicas. Ela é referente à receita das empresas.
  • IPI: representa o Imposto sobre os Produtos Industrializados e engloba tanto o que é produzido no Brasil, como fora do país. Qualquer produto, por menos “industrial” que pareça, só não se inclui a esta categoria caso seja uma matéria-prima sem qualquer modificação.
  • PIS/Pasep: Significam respectivamente Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Funcionário Público. Ambos incidem sobre a folha de pagamento de salários, sendo que o segundo é específico aos cargos públicos.
  • ISS: é a sigla para Imposto sobre Serviços. É recolhido na cidade onde qualquer serviço foi prestado. Pagá-lo é um dever do profissional, mesmo que autônomo.
  • Cide: é a Contribuição sobre Intervenção no Domínio Econômico. É um imposto que diz respeito aos combustíveis porque é uma cobrança referente ao comércio e importação de petróleo, gás e álcool etílico.
  • Cada imposto tem regras específicas e recai, com alíquotas específicas, sobre cada tipo de bem ou mercadoria — além de variações por estado.

    O cupom fiscal é um documento fiscal que formaliza uma venda de produto em condições específicas, como compras no varejo e em outros tipos de comércio. Ela substitui a nota fiscal de venda ao consumidor, quando emitida por impressora específica (o emissor de cupom fiscal). Via de regra, esse documento é fácil de ser reconhecido e identificado, porque traz o nome no topo do impresso.

    A legislação brasileira exige que o cupom seja emitido por empresas com faturamento anual igual ou superior a R$ 120 mil, com apoio de empresas credenciadas pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) para vender as impressoras especiais. No caso de empresas que usam o cupom com apoio de softwares, é obrigatório, por lei, que esse programa esteja instalado no computador ou terminal.